Número de homicídios no Rio é o menor em 20 anos

by

Gustavo Goulart e Sérgio Ramalho

Segundo o ISP, 2010 registrou o menor número de mortes violentas dos últimos 20 anos

O ano que ficou marcado pela derrubada de um mito – a tomada dos complexos de favelas do Alemão e da Penha – ficará assinalado também como o que registrou o menor número de homicídios em relação aos últimos 20 anos. Em 2010, foram registrados 4.768 crimes de homicídios dolosos, uma queda de 17,7% – menos 1.025 casos em relação a 2009, quando ocorreram 5.793 casos, segundo estatística do Instituto de Segurança Pública (ISP), divulgada ontem. Foi a primeira vez desde o início da série histórica dos índices de criminalidade, em 1991, que o número de homicídios ficou abaixo da faixa dos 5.000 registros. Se comparado com os dados de 2006, ano usado como referência pelo governo estadual, a queda foi de 25%. Naquele ano, foram registrados 6.323 casos.

Ainda na comparação com 2006, houve uma queda de 26,6% na taxa de homicídios por cem mil habitantes, passando de 40,6 para 29,8. A meta era baixar para 31. Segundo o subsecretário de Inteligência da Secretaria de Segurança, Roberto Sá, a meta para 2014 é baixar a taxa por cem mil habitantes para 22,9. Os técnicos analisaram os números dos indicadores estratégicos: homicídio doloso, roubo de veículo, roubos de rua e latrocínio.

Os números de roubos de rua (roubo a transeunte, de celular e em coletivo) baixaram pela primeira vez nos últimos sete anos. A queda foi de 11,2% entre 2009 e 2010, com o registro de 9.949 casos a menos. Em 2009, ocorreram 88.495 roubos contra 78.546, em 2010. Mas, se comparada com 2006, essa modalidade subiu 21%. Naquele ano, houve um total de 64.665 registros. A taxa por cem mil habitantes caiu de 552,7, em 2009 para 491,1, em 2010. Mas subiu, se comparado o número do ano passado com o de 2006 (415,5).

“Os números ainda não são excelentes”

A Secretaria de Segurança também divulgou a comparação de roubos de veículos: o número absoluto em 2010 foi de 20.052 casos, o menor desde 1997. Em comparação com 2009, quando foram contabilizados 25.036 casos, a queda no número de registros foi de 19,9% – a menor redução desde 1996. De 2006 até o ano passado, a queda foi de 53% na taxa por 10 mil veículos, caindo de 89,2 para 41,2.

– O que almejamos é uma polícia mais combatente. Fazer com que ela deixe a sua lógica. Hoje, há mais de mil policiais nas UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) com essa postura. Os números ainda não estão excelentes, mas vamos trabalhar para baixá-los ainda mais – afirmou o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.

A quantidade absoluta de latrocínios (roubos seguidos de morte) foi a menor desde 1999: 156 casos. Foram 29% comparando 2010 com 2009, quando houve o registro de 221 casos. A comparação com 2006 mostra redução de 29,4% (menos 65 vítimas). Naquele ano foram registrados 208 casos.

Já os números de autos de resistência (mortes durante confronto com a polícia) registrados em 2010 foram os menores desde 2001: 855. Se comparados com os de 2009 (1.048), os números do ano passado representam queda de 18%. E menos 20% se comparado com os 1.063 casos de 2006. A taxa por cem mil habitantes caiu 18% de 2009 para 2010 (6,5 para 5,3) e 22% comparado com os dados de 2006 (6,8).

Segundo Roberto Sá, a partir deste ano constará dos indicadores estratégicos o item “Letalidade Violenta”, que será representado pela soma dos números de vítimas dos crimes de latrocínio, homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte e autos de resistência.

A retomada das favelas dos complexos do Alemão e da Vila Cruzeiro, em novembro do ano passado, refletiu-se diretamente nos índices de criminalidade da Zona Norte. Os chamados crimes de rua (assaltos a pedestres e roubos de celulares e em ônibus) diminuíram 41,3% entre os dias 26 de novembro e 9 de dezembro, em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram registrados 197 delitos desse tipo, contra 336 na mesma época de 2009. No mesmo período, o número de roubos de veículos caiu a menos da metade: de 115 para 54, de acordo com o balanço divulgado, na última sexta-feira pela Polícia Civil. Os dados são referentes a bairros na região dos complexos, como Penha, Bonsucesso, Inhaúma, Olaria, Vicente de Carvalho e Brás de Pina.

Fonte: O Globo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s