Região da Irlanda tenta relaxar lei seca

by

Por DOUGLAS DALBY

KILGARVAN, Irlanda – Kilgarvan é um ponto isolado na movimentada estrada entre as cidades turísticas de Killarney e Kenmare. Mas tornou-se o centro de um frenesi na mídia internacional neste inverno europeu, quando seu conselho de moradores aprovou uma moção que permite a direção de carros sob o efeito de bebidas alcoólicas.

Pelo menos é assim que o fato foi relatado. O que o Conselho do Condado fez, na verdade, foi aprovar uma moção pedindo que as pessoas que vivem em áreas rurais tenham autorização para tomar algumas cervejas antes de voltar para casa dirigindo.

A medida foi proposta por Danny Healy-Rae, um dono de bar e político que pretendeu abordar duas questões ao mesmo tempo: o declínio da cultura dos “pubs” e o isolamento da vida rural, especialmente para os moradores mais velhos.

A moção de Healy-Rae pede ao ministro da Justiça que autorize a polícia a “emitir autorizações para que moradores de áreas rurais isoladas possam voltar para casa dirigindo do bar mais próximo, depois de tomar duas ou três bebidas, em estradas de pouco movimento e em velocidade muito baixa”.

Ele afirmou que isso ajudaria a combater o isolamento e até a reduzir o risco de suicídios. Os adversários políticos, entretanto, rotularam a moção como um golpe populista sem sentido.

Mas o fato de que a proposta foi aprovada fala muito sobre o poder complexo que o álcool ainda exerce em muitas das facetas da vida irlandesa.

Isso pôde ser visto recentemente em uma tarde de sábado, enquanto alguns rapazes desfrutavam algumas cervejas no bar da família Healy-Rae. Eles apoiavam a moção, apesar de a maioria só aceitar falar sobre isso sem se identificar.

John, um trabalhador da construção aposentado que não voltou a se casar depois da morte de sua mulher, há mais de 30 anos, descreve o “pub” como “uma ótima desculpa para sair de casa”. “Eu não beberia todos os dias ou coisa parecida, mas fico animado em beber algumas cervejas e talvez encontrar alguns amigos e saber o que está acontecendo no mundo”, disse.

Desde que a moção da bebida foi aprovada, o “pub” recebeu equipes de filmagem de toda a Europa e de outros continentes. Healy-Rae continua defendendo sua posição, apesar da torrente de críticas.

“Não defendo o tipo de indivíduo que causa acidentes em nossas estradas”, foi a resposta ensaiada. “Estou falando principalmente de pessoas idosas que vivem em lugares muito distantes e vêm à cidade para fazer compras, beber algumas cervejas, conversar com amigos e então dirigir para casa a menos de 50 quilômetros por hora.”

Uma colega dele no conselho, Toireasa Ferris, que estava ausente quando a medida foi aprovada, diz que ficou surpresa quando soube do resultado. Ela também acredita que o isolamento rural é uma questão séria, mas diz que ela foi deixada em segundo plano ao se promover a condução sob o efeito do álcool como parte da solução.

“Alguns da geração mais velha que estavam habituados a beber algumas canecas e dirigir para casa ainda podem considerar isso aceitável, e temos de entendê-los”, disse. “Mas precisamos romper o elo entre o convívio social e a bebida alcoólica para as próximas gerações.”

Fonte: The New York Times (Folha de São Paulo)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s